em Artigos

Pós-graduação, saúde mental e escolhas

Em meio às discussões sobre as consequências [nefastas] da pós-graduação para a saúde mental de mestrandos e doutorandos [1, 2], encontrei no Twitter a thread publicada pelo Prof. Jay Van Bavel, do Departamento de Psicologia da NYU. Entre outros achados, foi por meio da conta dele no Twitter que descobri recentemente a abordagem open science, que parece distante por essas bandas. Voltemos ao assunto…

A thread apresenta listas de perguntas que Bavel encaminha aos estudantes antes que comecem a participar de entrevistas nos programas de pós-graduação, organizadas por temas: o programa, mentoria, financiamento, docência, o curso e a vida social dos estudantes. A forma como ele aborda os assuntos é interessantíssima, preocupada com a carreira e sanidade dos estudantes. O foco são candidatos a doutorandos, embora a lista sirva muito bem os outros níveis de graduação.

Tenho percebido discussões no Twitter promovidas por outros pesquisadores de alto nível nos EUA que questionam a pressão e excessos aos quais os pós-graduandos são submetidos. Muito do que se diz sobre os mestrandos e doutorandos se aplica aos graduandos e essa crise precisa ser debatida seriamente. Coordenadores de laboratórios e grupos de pesquisa, orientadores e supervisores submetem, conscientemente ou não, seus estudantes a ritmos de trabalho insustentáveis e exigências inalcançáveis.

A forma que Bavel escolheu para tentar informar o candidato a pós-graduando é brilhante, principalmente por evidenciar o pouco conhecimento que a maioria deles têm sobre a vida que estão almejando. Conseguir responder a cada uma das questões, mesmo que de maneira parcial ou não tão fundamentada, é um avanço e tanto e pode ajudar a evitar escolhas com potencial destrutivo no futuro.

OBS: Fiz certas adaptações para que as listas façam sentido em outras áreas, reescrevi algumas questões considerando o contexto brasileiro e inseri comentários entre colchetes quando a questão envolver jargões ou práticas não necessariamente conhecidas por estudantes fora da pós-graduação.

O programa de pós-graduação

  1. Qual é a reputação do programa?
  2. O que você considera como forças do programa?
  3. O que você considera como fraquezas do programa?
  4. O que você gosta na Instituição X?
  5. O que você não gosta na Instituição X?
  6. Por que você decidiu vir para a Instituição X?
  7. Quais qualidades você busca em um programa de pós-graduação?
  8. Quais são os recursos metodológicos para pesquisa? Ex: …[ insira aqui os recursos e tecnologias específicas e indispensáveis para fazer pesquisa em sua área ]
  9. Os estudantes recebem treinamento de excelência em… [ insira aqui questões cruciais de coleta, processamento e análise de dados da área ]?
  10. Há treinamentos/equipamentos/disciplinas específicas na sua área de interesse?
  11. Quanta colaboração ocorre dentro do departamento [no qual o programa está inserido]?
  12. Os estudantes são tratados como colaboradores ou assistentes de pesquisa super qualificados?
  13. Com quantos artigos como autor principal os estudantes concluem o curso?
  14. Os estudantes estão atuando em projetos de ponta?
  15. As publicações são em periódicos de primeiro escalão ou produtos secundários (capítulos de livro etc.)?
  16. Quais são as tendências futuras do programa e departamento?
  17. O departamento contratará novos integrantes no futuro? Qual é a proporção entre o número de efetivos novatos e decanos?
  18. Qual é a taxa de evasão?
  19. Quantos anos a maioria dos estudantes leva para terminar o curso?
  20. O que está disponível academicamente fora das aulas (reuniões dos laboratórios, discussões, simpósios, colóquios, grupos de estudo etc.)?
  21. Com que frequência o programa recebe palestrantes externos e pesquisadores visitantes?
  22. Quais são as oportunidades de construção de redes de relacionamento (conferências principais da área)?
  23. Como os egressos se saíram no mercado de trabalho (pós-doutorados, ingresso em outras instituições etc.)?
  24. Quando os estudantes concluem o curso, como se destacam no mercado de trabalho em relação aos demais?
  25. O quanto os egressos são bem sucedidos após concluírem o programa (ganham prêmios ou não conseguem se estabelecer como efetivos [titulares] nas instituições)?
  26. Os estudantes recebem espaços de trabalho?
  27. Estudantes de pós-graduação possuem assistentes de pesquisa qualificados?
  28. O que estudantes e o restante do corpo acadêmico fazem nas férias?
  29. Há outros estudantes de pós-graduação ou pós-doutorado disponíveis e aptos a ajudar quando o pesquisador principal está ausente?

Orientação

  1. O quanto seu potencial orientador é prestativo e responsivo (e-mails, reuniões, revisão de textos e outros questionamentos)?
  2. Quão produtivos são os estudantes do laboratório de seu potencial orientador?
  3. Os estudantes desse laboratório lideram os projetos?
  4. Qual é a política de autoria de seu orientador?
  5. Os estudantes desse laboratório estão conduzindo pesquisas rigorosas e de ponta?
  6. A pesquisa é aberta e transparente [ ver Open Science ]?
  7. Quanto feedback os estudantes recebem sobre seus progressos?
  8. Se você aparecer com novas ideias ou abordagens, o corpo acadêmico estará disposto a trabalhar contigo?
  9. Com que frequência os estudantes de pós-graduação trabalham com membros do corpo acadêmico que não são seus orientadores?
  10. É possível trabalhar com acadêmicos de outras áreas ou departamentos?
  11. Quantos orientandos cada orientador tem?
  12. Qual é a filosofia de orientação de seu orientador em potencial?
  13. Com que frequência os membros do corpo acadêmico se encontram com seus alunos?
  14. Com que frequência o laboratório se encontra como grupo?
  15. Quanto apoio os outros membros do corpo acadêmico oferecem?
  16. Quais são os melhores laboratórios? (dica: há variações significantes entre laboratórios)
  17. Quantas pesquisas os alunos de pós-graduação normalmente desenvolvem ao mesmo tempo?
  18. Os estudantes estão realizados?

Financiamento

  1. Qual é a situação das bolsas para os estudantes?
  2. Quantos anos de bolsas são garantidos?
  3. A docência é exigida para receber bolsas ou os estudantes recebem pagamento adicional para lecionar?
  4. Há planos de saúde ou outros benefícios inclusos?
  5. Há bolsas durante as férias?
  6. Há recursos para financiar viagens [ passagens, diárias, inscrições em congressos, custeio de publicações ]?
  7. Quantos estudantes têm financiamento de pesquisa [ Capes, CNPq, Fundações Estaduais de Pesquisa ]?
  8. Os estudantes recebem grandes prêmios (teses e dissertações, artigos premiados etc.)?
  9. Os estudantes aprendem a escrever projetos para captar financiamento?

Docência

  1. Quantas disciplinas os estudantes precisam ministrar?
  2. Quais são os requisitos para os docentes e assistentes de docentes?
  3. Os estudantes têm oportunidades para desenvolverem disciplinas próprias?
  4. Quanto é pago aos estudantes para lecionarem?
  5. Os alunos das disciplinas são bons?
  6. Quais são os recursos disponíveis para a docência?

O curso

  1. Quais tipos de cursos de pós-graduação [ mestrado, doutorado, pós-doutorado ] são oferecidos?
  2. Quais são as exigências para a titulação (trabalhos, avaliações, avaliações orais, dissertações etc.)?
  3. O curso é pesado?
  4. Como as aulas são estruturadas (leituras, avaliações, discussões, apresentações etc.)?
  5. Quantas disciplinas de estatística e métodos de pesquisa estão disponíveis? [ considere outros métodos quantitativos e qualitativos essenciais de sua área de interesse ]
  6. Os estudantes podem frequentar disciplinas como ouvintes?
  7. Que formação adicional receberei em outras áreas de [ insira sua área aqui, ex: Psicologia ]?
  8. Posso fazer disciplinas eletivas em outros departamentos ou universidades?

Vida social

  1. Os estudantes interagem socialmente?
  2. Quão amigável é a atmosfera do programa de pós-graduação?
  3. O quanto os estudantes são competitivos ou cooperativos?
  4. Você gosta de viver em [ insira a cidade do programa ]?
  5. Onde você mora (se não for perto da universidade)?
  6. Em quais atividades não-acadêmicas os estudantes normalmente se envolvem?
  7. Quanta interação informal acontece entre o corpo acadêmico e os estudantes?
  8. Qual é a proporção de [ haha, insira estereótipos da moda aqui, ex: hipsters e não-hipsters ] no programa?
  9. Com que frequência [ insira popstars aqui, Bavel sugeriu Bon Jovi; acho que devo sugerir Anitta ou Safadão ] foi visto caminhando fora do departamento?

Fiz mestrado e doutorado trabalhando, acumulando funções e responsabilidades hardcore e ainda assim acho que fui acolhido e respeitado em relação ao “resto da minha vida”. Acho que nem sempre é o caso, vide depoimentos da Folha. Me policio cotidianamente para não estressar os membros do Laboratório e Observatório de Ontologias Projetuais (Loop) ou meus orientandos de projeto de conclusão de curso, mas certamente também reproduzo excessos aqui e ali. A pós-graduação é outro planeta e o nível de estresse acompanha a subida rumo ao espaço.

Vou imprimir essas listas e entregar para todas as pessoas que pedirem orientação ou desejarem entrar no Loop. A universidade é parte da vida, não o inverso. Para não parecer oportunista e deslumbrado, posso dizer que a maior parte desse raciocínio está registrada na edição Universidade Pública do Incendiários.

Sigam @jayvanbavel. Vale cada tweet.

Comente

Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Webmentions

  • Olá 2018, de volta ao básico – Hugo Cristo, Designer

    […] os excessos que definem a vida acadêmica, eventualmente compartilhando sugestões [por exemplo,  1 e 2]. Descobri as discussões um pouco tarde (~Ago/2017) e me identifiquei bastante com várias […]